O Observatório do Banco Central é um grupo de pesquisa sediado no Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O grupo, coordenado pelo professor André Modenesi, é composto por professores e pesquisadores da casa e de outras universidades.

O grupo se origina da reunião de alguns pesquisadores do Grupo de Estudos sobre Moeda e Sistema Financeiro, formado e coordenado pelo Professor Fernando Cardim de Carvalho, entre os anos de 1997 e de 2018. Nele também participam ex-alunos de Fernando Cardim. Assim, o referencial teórico do grupo é a teoria de Keynes e de Pós Keynesianos americanos, como Paul Davidson, Hyman Minsky, Jan Kregel e, também, Fernando Cardim.

As linhas gerais de pesquisa são: teoria macroeconômica; teoria monetária e financeira; teoria pós keynesiana; política monetária e cambial; economia brasileira; regulação financeira; e inovações financeiras; e macroeconomia aplicada.

As linhas de pesquisa acima se desdobram em:

  • Analisar a condução da política monetária do Banco Central do Brasil (BCB), particularmente as decisões de seu Comitê de Política Monetária.
  • Discutir alternativas da operacionalização dessas políticas, como por exemplo a substituição das operações compromissadas por reservas remuneradas por parte do BCB.
  • Analisar e acompanhar a evolução o mercado financeiro e bancário brasileiro, bem como as medidas de regulação financeira do BCB e da Comissão de Valores Imobiliários.
  • Analisar e acompanhar a evolução do Spread Bancário.
  • Analisar e estudar as inovações financeiras e seus impactos tanto macroeconômico quanto no setor bancário e financeiro.
  • Analisar e estudar o uso das novas tecnologias digitais, como o Big Data pelas fintechs e bigtechs.
  • Analisar e estudar a evolução das moedas digitais.
  • Analisar e discutir a relação do BCB com o Tesouro Nacional (TN), com vistas coordenar e a integrar a política fiscal e a monetária, objetivando a proposta de implantação de um banco central que adote uma meta de emprego – em linha com as finanças funcionais de Abba Lerner, Randall Wray, e de outros pós keynesianos.
  • Analisar e discutir as restrições legais ao financiamento do TN por parte do BCB, especialmente os artigos no. 164 e 167 da Constituição Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal.
  • Aprofundar o debate sobre a teoria monetária moderna, especialmente as restrições à aplicação em economias abertas e periféricas, cujas moedas estão na base da hierarquia de moedas, como a brasileira.
  • Acompanhar e avaliar empiricamente o impacto das políticas monetárias não convencionais dos bancos centrais de países industrializados (FED, BOE, ECB etc.).
  • Aprofundar a discussão teórica sobre as políticas monetárias não convencionais praticadas pelos bancos centrais dos países industrializados.